sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Terapias Integrativas: Alívio extra contra o câncer

Reiki, ioga e acupuntura. Essas técnicas já estão sendo utilizadas, em conjunto com as tradicionais quimioterapia e radioterapia, no tratamento contra o câncer. As técnicas milenares, que comprovadamente trazem bem-estar a seus praticantes, agora são estudadas para verificar quais benefícios podem oferecer aos pacientes que lutam contra o câncer.
O estudo teve início justamente pela alta procura de pacientes por essas técnicas. No Brasil, aproximadamente 45% da população pratica ioga ou reiki e já se utilizou de acupuntura em algum momento, segundo o dr. Paulo de Tarso Lima, especialista em medicina integrativa pela Universidade do Arizona (Estados Unidos) e responsável por essa área no Programa Saúde Além da Cura, do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).
Antes de qualquer passo em relação a combinações de tratamentos e à inclusão de técnicas integrativas, o paciente deve conversar com seu médico para discutir o melhor caminho de tratamento
O especialista foi buscar em Hipócrates, conhecido como pai da medicina, uma das explicações para a importância de integrar a medicina ocidental às técnicas orientais. Segundo Hipócrates, “o papel do médico consiste em ajudar as forças naturais, criando condições para o processo de cura, sendo a terapia uma assistência para otimizar esse processo”. É esse conceito que se tenta seguir quando é aplicada a medicina integrativa em pacientes com câncer.
A medicina integrativa enxerga o paciente como um todo (corpo, mente e espírito), incluindo todos os aspectos de seu estilo de vida. Segundo o dr. Paulo de Tarso, mais da metade dos pacientes com câncer busca alguma forma de terapia complementar e, muitas vezes, não conta ao oncologista. “Antes de qualquer passo em relação a combinações de tratamentos e à inclusão de técnicas integrativas, o paciente deve conversar com seu médico para discutir o melhor caminho de tratamento”, aconselha o especialista.

Saber o que escolher

As técnicas complementares são as mais diversas, mas é preciso cuidado para não confundi-las com as terapias alternativas que, diferentemente das complementares, são entendidas pela medicina como práticas que excluem o tratamento convencional, o que pode trazer sérios riscos à saúde.
As terapias complementares, como acupuntura, reiki e ioga agem de forma integrada aos demais medicamentos e procedimentos, com os objetivos de:
  • reduzir sintomas e efeitos colaterais da quimioterapia e da radioterapia;
  • aumentar a sensação de bem-estar;
  • melhorar a qualidade de vida;
  • diminuir o medo, o estresse, a depressão e a ansiedade;
  • promover melhor resposta do organismo ao tratamento.
Para não deixar dúvidas, o dr. Paulo Tarso faz questão de classificar as práticas complementares em:

Recomendadas

Aquelas comprovadas cientificamente. Acupuntura diminui náusea e dor; meditação proporciona momento para se desconectar do mundo exterior e se concentrar em si mesmo; musicoterapia trabalha as funções cognitivas, fisiológicas e psicológicas, melhorando o bom humor e equilibrando as emoções.

Aceitas

Ainda em fase de estudo. Reiki canaliza as energias e proporciona equilíbrio vital; ioga fortalece o sistema imunológico e reduz o estresse; ingestão de vitaminas C e E, ambas antioxidantes, ajuda na prevenção e no combate de doenças degenerativas.

Suspensas

Que não devem ser utilizadas, pois trazem riscos à saúde. Realização de dietas sem auxílio nutricional, substituição do tratamento convencional pelas terapias alternativas.

Medicina Integrativa no Einstein

Devido à grande procura e aos comprovados benefícios, o HIAE criou um programa específico para os pacientes que passaram pelo tratamento de câncer. Chamado de Saúde Além da Cura, o programa é desenvolvido nas unidades Ibirapuera e Morumbi e oferece o atendimento clínico da Medicina Integrativa.
Durante as consultas médicas, é discutida a possível associação de terapias complementares às convencionais, com o objetivo de alcançar os melhores resultados nos tratamentos e promover a qualidade de vida. Entre as terapias oferecidas pelo HIAE estão: ioga, reiki, meditação, acupuntura e terapias corporais, como massagens.

sábado, 6 de agosto de 2011

Projeto Terapias Holísticas Integradas atende comunidade do Gabriela

Ney Silva
Convidados pelas coordenações dos PSFs 1 e 2 do bairro Gabriela em Feira de Santana, o terapeuta Ney Silva e a terapeuta Miralva Alexandre participaram  de uma Feira de Saúde na tarde de hoje (06). Eles atenderam profissionais de saúde e pessoas da comunidade aplicando terapias holísticas no posto do Programa Saúde da Família (PSF 1), local do evento.
O projeto denominado Terapias Holísticas Integradas  conta com a inclusão da massoterapeuta Sabrina Sousa e da terapeuta em Reiki e Quelação Miralva Alexandre. Cerca de 20 pessoas receberam terapias de Toque  Vibracional como Reiki, Quelação, Canais de Luz e Hipnose.
A enfermeira Maria Elza Pereira Costa que trabalha no PSF1, aprovou o projeto. Ela submeteu-se a uma sessão de hipnose e confirmou ter relaxado bastante. " Achei muito bom e a população adorou. É um trabalho muito bonito que deveria ser feito mais vezes", afirmou.
Na opinião dela a aplicação dessas terapias deveria ser realizada mais vezes nas unidades de saúde como complemento ao tratamento médico. " As pessoas precisam se desestressar", disse Elza.
A enfermeira tem toda razão. Por ser idealizador do projeto tenho observado que o estado da Bahia está atrasadíssimo na implementação dessas terapias integrativas na rede pública de saúde.
Em recente visita ao Hospital Geral Cleriston Andrade, o secretário de saúde Jorge Solla, descobriu que cerca de 30 por cento dos servidores estão sem trabalhar devido o estresse, ansiedade, depressão entre outras doenças. Essa situação  preocupa a SESAB e a única maneira de resolver esse problema é desenvolvendo terapias holísticas na saúde, fato que não é avaliado.
Ocorre que  prefeituras municipais também não  querem investir na saúde coletiva. O projeto Humaniza Sus do Governo Federal não vem prosperando também por falta de visão holística dos governantes.
Mas nem tudo está ruim nesse campo holístico. Na Bahia por exemplo, o Hospital Santa Isabel em Salvador melhorou bastante a sua qualidade de atendimento as crianças e adolescentes com câncer depois que capacitou 18 pessoas entre médicos, enfermeiros e outros profissionais que trabalham na unidade de oncologia infantil. 
Nesse blog você pode ler ampla reportagem sobre as terapias holísticas que vem crescendo em centros de saúde, hospitais e universidades do Brasil e do Mundo. Vai demorar bastante, mas só quando o governo federal acordar e obrigar através de lei a inclusão dessas terapias na saúde é que verdadeiramente as pessoas vão melhorar sua qualidade de vida sendo tratadas de forma holística.


Confira mais fotos do Projeto Terapias Holísticas Integradas: